segunda-feira, 27 de agosto de 2012

MDA e FAO debatem Pronat e cooperativismo

O Programa Nacional de Desenvolvimento Sustentável de Territórios Rurais (Pronat), iniciativa do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA)  executada pela Secretaria de Desenvolvimento Territorial (SDT), foi tema de reunião, nesta quinta-feira (23), na sede da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO), em Brasília. O Pronat promove, planeja e implementa a autogestão do desenvolvimento sustentável dos territórios rurais e o fortalecimento e dinamização de sua economia.

O secretário de Desenvolvimento Territorial do MDA, Jerônimo Rodrigues, lembrou que 2012 é o Ano Internacional das Cooperativas, tema fundamental para fortalecer a dinamização econômica no campo. “A Assembleia Geral da ONU declarou 2012 como o Ano Internacional das Cooperativas, destacando a contribuição das cooperativas para o desenvolvimento socioeconômico e reconhecendo seu trabalho para a redução da pobreza, geração de emprego e integração social”, afirmou. Segundo ele, as cooperativas oferecem um modelo de negócio que contribui para o desenvolvimento dos cooperados e comunidades onde atuam.
A SDT promove este ano ações sobre o cooperativismo, entre elas quatro seminários regionais e um seminário nacional, em novembro, no Rio de Janeiro, além da publicação de um livro sobre o tema. O vice-representante da FAO no Brasil, Gustavo Chianca, afirmou que a FAO sempre trabalhou com a SDT. “Buscamos nos aproximar ainda mais e trazer novas discussões para a pauta comum”.
Participaram do encontro, além de Jerônimo Rodrigues, o assessor especial do MDA, César Oliveira; o representante da FAO no Brasil, Hélder Muteia; e o vice-representante da FAO no Brasil, Gustavo Chianca. Na pauta, questões como o cooperativismo e a erradicação da miséria no país. César Oliveira explicou que a criação da SDT ajudou os agricultores familiares a serem protagonistas com a gestão social das políticas públicas e a criação dos Colegiados Territoriais, principalmente, nos espaços de menor dinamização econômica. 
Cooperação internacional
De acordo com Hélder Muteia, a cooperação internacional com o Brasil tem trazido bons resultados. Ele contou que existem dez projetos pilotos sendo desenvolvidos em países africanos baseados no Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e no Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae). “Esse é só um ponto de partida, uma das ações para diminuirmos a extrema pobreza nesses países. A partir das lições aprendidas com os programas brasileiros, podemos contribuir para a erradicação da miséria nesses locais. O Brasil tem potencial enorme para ajudar no desenvolvimento rural de outros países”, garantiu.
Jerônimo Rodrigues lembrou que as políticas públicas oferecidas pelo governo federal estão se aproximando de quilombolas, indígenas e comunidades tradicionais. “Os Territórios fazem com que o Estado brasileiro chegue mais longe, aproximando as políticas públicas das pessoas que mais precisam. Hoje o governo chega até a população mais pobre no campo com o PAA, Pnae, Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e Programa Territórios da Cidadania (PTC), entre outros”, explicou. 
Colegiados Territoriais
Os Colegiados Territoriais são responsáveis por identificar as demandas locais para os órgãos gestores priorizarem o atendimento; promover a interação entre gestores públicos e conselhos setoriais; contribuir com sugestões para a qualificação e a integração de ações; exercer o controle social do Pronat; e dar ampla divulgação às ações do Programa.

STR Goianinha faz sua previsão orçamentária

STR de Goianinha comemora com seus associados e associadas as festas de final de ano. Ao mesmo tempo fez sua previsão orçamentária para o ex...