segunda-feira, 29 de abril de 2013

CONTAG é homenageada na Câmara dos Deputados por seus 50 anos

FOTO: César Ramos

Na manhã de hoje (24 de abril), foi realizada uma Sessão Solene no Plenário da Câmara dos Deputados para homenagear os 50 anos da CONTAG e sua história de lutas e conquistas em defesa dos trabalhadores e das trabalhadoras rurais do Brasil.



A iniciativa partiu do deputado federal Elvino Bohn Gass (PT-RS) e contou com a presença de deputados e deputadas, toda a diretoria da CONTAG, dirigentes das 27 FETAGs e assessoria. Além de Bohn Gass, compuseram a mesa Alberto Broch (presidente da CONTAG), Alessandra da Costa Lunas (vice-presidente e secretária de Relações Internacionais da CONTAG), Elenice Anastácio (secretária de Jovens Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais da CONTAG), José Francisco (ex-presidente da CONTAG), Tatau Godinho (secretária de Avaliação de Políticas e Autonomia Econômica das Mulheres, representando Eleonora Menicucci, ministra de Políticas para as Mulheres) e Adhemar Almeida (secretário de Reordenamento Agrário, respresentando Pepe Vargas, ministro do Desenvolvimento Agrário).

Após a exibição do vídeo comemorativo “CONTAG - 50 Anos em Cenas”, Bohn Gass iniciou sua fala recordando momentos importantes da história da CONTAG. No final da década de 1960, por exemplo, “se fez a opção pelo enfrentamento e resistência ao poder econômico e político, lutando por reforma agrária, e acelerando a organização e a formação política sindical da base trabalhadora rural”, afirmou. De acordo com Bohn Gass, deste período veio a maturidade política da entidade, que hoje orgulha-se de ter participado ativamente dos mais importantes movimentos políticos, como campanhas pela anistia e eleições diretas.

Segundo o deputado, “a CONTAG sempre esteve na vanguarda da luta rural. O movimento sindical sempre atuou efetivamente contra o descumprimento das leis e acordos trabalhistas”. Ele destacou também a luta da entidade contra a prática do trabalho escravo e a importância das ações de massa (Grito da Terra Brasil, Marcha das Margaridas, Mobilização dos Assalariados(as) Rurais e o Festival da Juventude), que valorizam em sua organização a diversidade dos sujeitos políticos do campo. “Devemos agradecer muito à CONTAG por ter feito essas lutas e mobilizações no campo brasileiro, que há 50 anos vem carregando esta bandeira da esperança.” E desejou: “Vida longa à CONTAG!”

Representando a ministra Eleonora Menicucci, Tatau Godinho afirmou que a luta pela sustentabilidade deve ter em vista tanto o ambiente quanto as relações sociais entre as mulheres e os homens. Segundo ela, a luta das mulheres trabalhadoras “precisa e deve ser reconhecida pelo governo como um componente indispensável do desenvolvimento social”.

Adhemar Almeida, representando o ministro Pepe Vargas, destacou o Grito da Terra Brasil como um importante instrumento para o aprimoramento das políticas públicas para o campo brasileiro. Segundo ele, uma das grandes conquistas da CONTAG é que hoje a sociedade brasileira reconhece a contribuição que a agricultura familiar tem na produção de alimentos, na preservação do meio ambiente e na sustentabilidade do nosso planeta.



Alberto Broch agradeceu aos parlamentares presentes pela solenidade e prestou sua homenagem a todos os ex-presidentes da CONTAG, a todos os diretores que já passaram pela instituição e àqueles que lutaram pelo campo brasileiro e foram assassinados. “Quero registrar, neste momento, a luta da CONTAG nestes 50 anos por liberdade, justiça, trabalho digno e reconhecimento de milhões de homens e mulheres do campo brasileiro”, disse o presidente. Ele aproveitou a ocasião para reforçar a ideia de que o Congresso precisa aprovar leis que fortaleçam a agricultura familiar e promovam a reforma agrária.

De acordo com o presidente da CONTAG, além do reconhecimento das mulheres, do PRONAF e das políticas públicas e de desenvolvimento, o reconhecimento da categoria trabalhadora rural por parte do Estado brasileiro é uma das grandes conquistas da CONTAG nestes 50 anos de existência.

Deputados e deputadas presentes também falaram sobre a importante atuação de ex-presidentes da CONTAG, como José Francisco, Francisco Urbano e Manoel Santos, que estavam presentes na sessão solene, e Lindolpho Silva, primeiro presidente da CONTAG (já falecido). Margarida Alves e os milhares de trabalhadores e trabalhadoras rurais que morreram lutando pelo campo brasileiro também foram homenageados. O Projeto Alternativo de Desenvolvimento Rural Sustentável e Solidário (PADRSS) foi citado como instrumento de realização da reforma agrária e afirmação da soberania alimentar; a agricultura familiar, por sua vez, foi citada como peça fundamental para o futuro da produção alimentar.





FONTE: Imprensa CONTAG - Julia Grassetti. Fotos: César Ramos.

STR Goianinha faz sua previsão orçamentária

STR de Goianinha comemora com seus associados e associadas as festas de final de ano. Ao mesmo tempo fez sua previsão orçamentária para o ex...