terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Acordo aposta na agricultura familiar para fortalecer produção de leite e derivados


Foto: Andrea Farias/MDA

O ministro do Desenvolvimento Agrário (MDA), Pepe Vargas, disse, nesta quinta-feira (21), que os agricultores familiares do País dispõem de todas as condições, inclusive de financiamento farto, para ajudar o setor de lácteos nacional a se tornar, novamente, um grande exportador de produtos. A afirmação foi feita durante a assinatura do protocolo de intenções entre o MDA, Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB). O acordo prevê a realização de programas de capacitação e desenvolvimento da competitividade do setor.

“Nós temos folga no Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar) do MDA. Tem sobrado recursos. No ano passado, poderíamos ter contratado, pelo Pronaf, R$ 3 bilhões a mais e ainda assim teríamos recursos. E este ano, aumentamos mais R$ 2 bilhões. E, se contratar tudo, a presidenta Dilma já garantiu: vai ter mais!”, assinalou Pepe Vargas.

O ministro lembrou que, para as cooperativas, o MDA já ampliou o limite da linha de crédito do Pronaf Agroindústria, que passou de R$ 10 milhões para R$ 30 milhões, mantendo a mesma taxa de juros (2% ao ano) do Pronaf. “O setor leiteiro tem condições de reocupar o espaço que perdeu”, assegurou Pepe, referindo-se ao período após 2009, quando, em razão da crise financeira internacional que levou muitos países a adotarem políticas protecionistas, o Brasil deixou de ser exportador para se tornar importador de produtos lácteos.

A assinatura do protocolo foi realizada no auditório do Incra, em Brasília, e contou, ainda, com a participação do secretário nacional da Agricultura Familiar (SAF/MDA), Valter Bianchini; do diretor de Negócios da Apex-Brasil, Rogério Bellini; e do presidente da OCB, Márcio Lopes de Freitas.

Atividade

A atividade leiteira está em 1,3 milhões de propriedades no País, sendo a maior parte delas de agricultores familiares, responsáveis por 58% da produção. Trata-se de trabalho intensivo, que gera 4,7 milhões de empregos – 4,3 milhões de empregos no campo.

Atualmente, mais de 40% da produção brasileira de lácteos passa – de alguma maneira – por uma cooperativa. O recorde brasileiro de exportação do leite ocorreu em 2008, com faturamento total de aproximadamente R$ 1,07 bilhão (U$ 541 milhões). Com a crise financeira internacional, diversos países adotaram políticas protecionistas em relação à exportação desta e de outras commodities, prejudicando a balança comercial verde-e-amarela. A assinatura do convênio entre OCB, Apex-Brasil e MDA se propõe a reverter este quadro, fortalecendo novamente o Brasil neste competitivo mercado.

Tags da notícia:

Mulheres do Serido em Marcha

Aconteceu hoje (07), pela manhã a 5° Marcha das Margaridas do Seridó na cidade de Acari, Mulheres de todo o Seridó foram as ruas de Acari m...